segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O Grande Momento da Vida










Deixe estar, deixe-se ficar...A vida é curta, mas a noite é longa

E o neon frio sobre a sarjeta,  ha de iluminar meu tatear no escuro, a procura do caminho de volta pra casa. Não me hei de perder enquanto deixar migalhas de pensamentos pelo caminho. São aforismos  amargos demais para que os pássaros os comam...

Talvez tenha tempo para um chá de ervas, talvez jogue xadrez como no filme de Bergman...
Talvez se resolva a me contar porque arranca os brotos dos galhos que ainda não floriram ou porque ceifa colheitas que ainda não geraram o pão. A noite é longa e temos tempo. Tempo demais quando no cárcere por um dia. Tempo de menos quando se está na companhia de alguém que se ama. “Tudo é relativo. Até o nada”.

Quando jovem alimentei pensamentos estranhos que um dia tiveram sentido e que me trouxeram como tantas outras vezes me levaram - De onde não sei bem, para onde, também ignoro. Apenas não me permito pairar em suspensão, enquanto os ventos giram no teto do mundo.

Um dia encontrarei um carro sem maçaneta na porta e então cairei no céu. Um dia vou flutuar como um dente-de-leão no vento e me espalhar pelo mundo como um pólen cinzento.


Para viver tenho de te levar na alma, musa de toda a filosofia, e eu te amaria se fechasse meus olhos para o mundo. Em vez disso fecha o mundo dos meus olhos e me deixa cego.

 A noite é longa, a vida é curta. Curta demais para quem deveria enterrar seus próprios netos.  Longa demais para quem é uma irrelevância.


2 comentários:

♦ Rafael Castro ♠ disse...

A postagem foi linda.
E me faz pensar. "Tudo é real. Nada é real. É a vez de Choronzon".
E hoje eu estou meio inutilizado para fazer comentários. Explico: ontem eu assisti talvez pela quinta vez A Origem. Estou relacionando basicamente tudo àquele filme.
Tenho as minhas ideias do que te fez escrever esta postagem. Se eu estiver certo, gostaria de estar errado. Às vezes é ruim estar certo.
Desculpa, estou divagando demais.

"Quando eu era jovem eu era um tolo. Então envolvam-me em sonhos e morte".
Bons sonhos, meu amigo.

Sahge disse...

Meu amigo,
Você está correto. E eu tenho evitado assistir a "Origem" pelo mesmo motivo que escrevi este post. A morte vai ser o grande momento da MINHA vida e como todo mundo, eu já nasci pronto para este encontro. Mas não consigo aceitar com serenidade esses desencontros fortuitos com ela, quando ela de passagem ceifa a minha volta o que poderia iluminar o meu tempo aqui, neste lado da realidade.

Algumas perdas são duras demais e levam o tempo de uma vida para parar de doer. Se é que chegam a parar.

Espero que ela realmente jogue xadrez e me dê alguns minutos de conversa para que possamos fazer as pazes antes de me lançar no escuro.

"Para tocar além do sol
meu coração já alçou voo.
Com mente e olhar cheios de inveja,
admiro as almas isoladas
Que tal vento lunar não sentem"

Talvez eu esteja errado ( e lastimo o fato de que a despeito das minhas tentativas em ser modesto, infelizmente nesses casos, eu quase sempre estou certo), talvez um dia o trigo cresça novamente por entre esse campo de joio chamado vida, mas quando penso que a Dama Negra levou mais da metade de mim, penso também que sonhos e morte são tudo o que me envolvem numa busca por significado. Vou sonhar até que se dê O encontro.

Bons sonhos pra você também e por favor, divague sem moderação, porque é ainda o melhor modo de se compreender o incompreensível...