terça-feira, 27 de março de 2012

Das Coisas que Me Ocorrem Quando Paro de Olhar Pra Dentro...




Esse é o principio ou também e talvez, o fim de toda angústia (se minha ou alienígena a mim, não estou no momento equipado para dizer, mas que conheço e reconheço)
 e que talvez seja um pensamento que mais confunda do que explique:


A alma irremediavelmente nômade, peregrina, a sonhar com espaços e pensamentos abertos,
atada por mil Nós (em pronomes e substantivos) a um corpo, com todas as suas vicissitudes,
Irremediavelmente  enraizado  nas minúcias voláteis da vida cotidiana...


Digamos, despretensiosamente, o que na prática significa que é uma fala carregada com todos os anseios de que dispomos, que uma ausência pode ser das presenças a mais constante.
Cortante.


"Corvos voam com corvos", e as vezes, ou com mais frequência do que é aceitável, entedia o olhar, olhar para o azul do céu forrado de asas multicores e não ver por entre estas a cálida figura de uma ave, que é como você,aço de sua têmpera...
Estaremos realmente entrando em extinção?



quinta-feira, 22 de março de 2012

Ofertas e Vergonha.



E foi com vergonha que sai daquela loja, onde comprei sem saber bem o porquê, aquele projeto de virtude que eu nem mesmo queria, mas que a fala hábil de outros e meu ridículo desejo por aceitação, convenceram-me de que era meu anseio. Já agora não sabia o que fazer com aquilo. Era pesado, eu mal dava conta de carregá-lo, quanto mais de sustentar aquilo por muito tempo. E eu já tinha tanta quinquilharia na consciência, tantos desejos importados, tanta afetação, tantos automatismos sociais, tanta fala bonita decorada, tantos sorrisos falsos e simpatias forjadas, tanta crença fingida, tantos modos e medos de disfarçar meu desajuste, tanto... Que ficava cheio do alheio ao mesmo tempo em que me esvaziava pouco a pouco de mim.


Mas que ser humano desprezível eu vi, quando me olhei refletido no vidro espelhado daquela loja cuja vitrine anunciava mais um porrilhão de falsidades brilhantes em oferta:

 Seja um príncipe luminoso, por apenas $ 19,95!

Torne-se um bom cidadão por apenas $16,00!

Aprenda a cativar os outros falando sempre a coisa certa por $26,15!

Olhei em volta para ver se alguma loja oferecia, senão uma aspiração atroz, ou uma ferocidade autentica ao menos o direito de ser às vezes um legítimo e livre filho da puta. Alguma patifaria sincera, algum pecado que não viesse com uma tonelada de culpa numa venda casada. Algo que calasse um pouco a vergonha de ser humano e falho. Mas qual!

Senti vergonha de sentir vergonha de assumir, que eu gosto da noite e das coisas tomadas por tristes quando são na verdade  profundas e que a maioria teme por ter um coração superficial. Por ter simpatizado e me identificado com o Góllun e seu tormento um tanto canalha e ter me entediado com os olhos meigos e cheios de ternura de Frodo Boffin. Senti vergonha de ter estendido as mãos suplicantes diante de altares vazios e ter pensado que se minhas orações não despertavam respostas, era apenas porque eu era indigno de obtê-las e não porque estava orando para os altares  errados.

E de não ter percebido que só era necessário um pouco de honestidade para quebrar o grilhão.
Sai com uma sacola cheia do lixo que me convenceram que eu deveria comprar para ser um ser humano decente e no estomago uma sensação vazia de que já então havia muito pouco de mim para defenestrar e preencher o espaço com aquele lixo ideológico, fingido,disfarçado de virtude. E é coisa complicada reconstruir uma alma a partir de um fragmento.

Comprei por um preço muito alto, aquilo que me destruiu.
Só me resta esperar a fatura no fim do mês...
E quebrar a droga do cartão de crédito!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Saudosista Assumido

Um vídeo ótimo de uma das bandas de que mais gosto. The Smiths, junto a Joy Division e The Cure foram em minha opinião as bandas mais significativas do Punk Rock e Alternativo das ultimas décadas.
Ver esse vídeo me fez lembrar de um tempo em que para sermos "cool" não era necessário nos comportarmos como "jackass", como parece ser a regra hoje.

E fiquei pensando se afinal não nos esquecemos de como fazer (e escutar) boa música.
Como diria minha amiga Thuany Freitas, "saudades das minhas lembranças"...









quinta-feira, 15 de março de 2012

Uma Pequena Nota de Des-clarecimento


Me ocorreu e isso que me ocorreu é uma coisa tensa, eu diria, e como o termo “tenso” está muito em voga hoje em dia e eu me penso naturalmente alérgico ao que “está em voga”, sinto- me um pouco tolo e levemente traído por mim mesmo ao usar essa palavra.

Ao diabo, com isso! 
Até que eu tenha um meio, capacidade e interesse de falar sem palavras (fonadas ou escritas), não hei de pensar que a moda se apossou e na mesma hora me desapossou do uso da  língua portuguesa.

É apenas que me ocorreu depois de uma persistente febre seguida de uma preguiça tenaz, que nós somos todos crianças entediadas num jardim de novidades voláteis. O problema é que nenhuma novidade extingue  o nosso tédio obstinado e queremos sempre um brinquedo novo e maravilhoso, quando aquele que há um minuto nos iluminava o olhar, tem seu brilho pouco a pouco esmaecido.

O problema é que ali naquela esquina, algo vai me encontrar, algo vai se abater sobre a minha cabeça e eu acabei por pensar que é absurdo esperar que seja sempre algo venturoso. Posso esperar que me caia na cabeça, talvez a módica quantia de alguns milhares de dólares (coisa que me seria bem útil), mas jamais vou pensar que os mesmo virão do céu embalados num cofre de meia tonelada, como naqueles desenhos viciantes de Hanna e Barbera.

Porque desejos são mais traiçoeiros do que sonhos, tenho de me lembrar de nunca esquecer que devo ter redobrado cuidado com aquilo que desejo.
Talvez seja trágico consegui-lo.