quinta-feira, 31 de março de 2011

Festinha - By Sahge


Espero que no dia em que meu Eu dobrar sobre si, eu ainda me reconheça apesar do tanto que deixei o mundo e meu próprio e tolo capricho amarrotar-me. Deixar, ainda que momentaneamente, que te molde o mundo ou o seu desejo de fazer parte dele é receita certa para um desastre, no qual o Eu acaba por sofre duros golpes na firmeza de sua força individual. Sua convicção vacila e os limites daquilo que é da cultura e daquilo que é seu, se esvaecem, o boêmio se confunde ao beato; e onde não há fronteira, há o tráfego e o tráfico de idéias que não são suas. Há o transe e o trânsito de pensamentos e anseios alienígenas ao Eu.


Deixe que entrem em si. Deixe!


Será como uma festa na qual aqueles poucos que receberam o seu convite, trouxeram consigo outros não convidados e estes também trouxeram uma companhia análoga. Somados a estes e aos anteriores, uma multidão de penetras adentrou a sua festa... E reviraram sua casa, sujaram seu tapete, transformaram sua pequena festa numa rave desordenada, comeram, beberam, incomodaram seus vizinhos, não fizeram o menor caso de cumprimentar o anfitrião e depois de reclamarem a noite toda da festa “mixa” na qual nada comeram e nada beberam ( a despeito do fato de você ter posto a disposição destes seu estoque mensal ou semestral de víveres e esvaziado a sua adega), vão se na noite sem sequer despedirem-se de você, deixando-lha uma pilha de pratos sujos, garrafas vazias e aquela sensação de que você se comportou como um tolo por ter feito a festa, para início de conversa.


Ainda não sei o que é pior; não ter forças para certas coisas em alguns aspectos e assumir isso, ou amparar-se na força de outrem se esquecendo da própria limitação.
O que eu sei, é que toda vez que vejo aquele “piedoso” e arrogante sorriso, no rosto de pessoas claramente vazias de si quando suspiram pelo “céu dos virtuosos” sem ao menos estarem honestamente convictos de que existe mesmo um céu, mais ardentemente desejo assegurar o meu lugar no inferno, porque me parece que é para lá que são enviadas as almas mais densas.

2 comentários:

Ana SS disse...

Paciência é condição sinequanon pra vida.

Sahge disse...

Sim, Ana...
Dizem que é também um atributo dos sábios...
A partir dessa premissa posso concluir que sou um rematado tolo, porque estou (espero que momentaneamente) desprovido deste predicado...