quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Orkut, Glitter e Por Que Fulano Não Fala Mais Comigo.




A cena foi a seguinte; fulano me encontra na rua e me pergunta fulo da vida porque diabos não respondo seus recados no Orkut. “Orkut? Como é que se come isso? Serve com vinho tinto ou branco?” 

E eu até havia esquecido que tinha feito um Orkut e também que havia adicionado fulano ou Add, como se diz em “orkutês”. E pelo visto, fulano que mora a poucas quadras da minha casa esqueceu meu endereço, telefone e email, porque aparentemente precisava muito falar comigo e não tinha outro recurso que não o Orkut. Como fulano estivesse acompanhado e o assunto parecia ser sigiloso (já que ele me deu o pito pela minha descortesia e se foi tão rapidamente quanto veio) logo que cheguei em casa fui ver o que era tão urgente assim para que ele me enxovalhasse em publico apenas por não responder aos seus recados. Fazendo um pequeno mea culpa, tenho de reconhecer que tenho uma mania de mandar emails enormes para meus amigos e isso talvez explique o porquê de fulano evitar minhas muitas laudas e optar pela velocidade do Orkut e MSN, porque se supõe que eu deveria acessar isso todos os dias e o formato  desses canais invibialisa mensagens longas. Enfim...


Tive um trabalhão danado para me lembrar da senha. Passaram-se muitas semanas desde meu ultimo acesso e quando finalmente consegui acessar, havia cerca de 80 recados não lidos. Um terço deles de fulano. Para a minha surpresa estavam ali ainda todos os meus “amigos”.  A maioria, pessoas da faculdade. Os outros, não faço idéia de quem seriam. Nos poucos minutos que fiquei  lendo os “recados urgentes” de fulano, vi que se tratavam de coisas como:

 “E aí? Comé que foi o findi?”. 
Percebi imediatamente que precisava urgentemente atualizar o meu orkutês, porque foi com muita dificuldade que consegui entender que fulano estava querendo saber como havia sido o meu fim de semana. Na verdade, ele parecia ter grande interesse em como seriam ou teriam sido os meus últimos seis finais de semana e se mostrou persistente nessa curiosidade, já que eu nunca o respondia e ainda assim ele continuava indagando de mim como foram. Ou expressando desejo de como seriam. O curioso é que alguns desses “findis” passei quase que completamente na companhia de fulano, daí meu espanto por vê-lo curioso por estes, sendo ele ator e autor de boa parte do enredo da história.

 Lendo o ultimo recado tomei um susto: Fulano me enviou um “scrap” de um ursinho sorridente cheio de glitter com um coração ao fundo e em letras garrafais arco-irisadas (e também glitteradas) os mesmos votos: Bom fim de semana!

Só então venci a lentidão do meu pensamento (Jesus! Sou mesmo um retardado!) e entendi que Fulano estava me gozando. Respondi na mesma letra:

“Caro fulano, 
A despeito de seus calorosos votos, meu final de semana foi uma droga. Recebi visitas desagradáveis, tive enxaqueca, meu time perdeu ( e eu nem gosto de futebol), o gás de cozinha acabou no meio da tarde de domingo e meu cachorro mordeu o filho da vizinha. Embora eu não seja supersticioso, por força dos eventos recente sou forçado a considerar a possibilidade de serem justamente os seus votos os causadores de todas as minhas adversidades de fim de semana. 
Agradeço pelo seu interesse, mas escusado está de “passar para deixar um oi” ou “alguma corrente do bem”.
PS: Vá à @#% seu pé frio!

Depois disso, não entendi porque ele se recusou a falar comigo. Tenho quase certeza de que ele levou mais para entender que eu o insultava do que eu levei para entender seus bons votos em orkutês. Disse que eu o constrangi em publico. 

O que não me entra na cabeça, é porque um sujeito que não tem o menor pudor em me deixar um urso glitterinado (que agitava os braços como um boneco de posto de combustível) onde todo mundo poderia ver  se sente no direito de ofender-se apenas porque o mandei ir as favas.

Penso que o sujeito que inventou o glitter é um terrorista da pior espécie. A CIA e o MOSSAD deveriam caçá-lo implacavelmente (porque deve ter se evadido para algum ermo remoto depois de lançar esse flagelo sobre a humanidade),  abatê-lo a tiros e sepultar o corpo no mar.

Fulano não fala mais comigo e sei lá porque isso não chega a me perturbar. Geralmente eu aprecio que as pessoas estejam “de bem” comigo, mas depois dos ataques glitterinados deste meu amigo, passei a considerar compassivos e até agradáveis as agressões dos meus poucos  e desconhecidos inimigos. Paus, pedras, balas facas e afins podem até destruir meu corpo, mas glitter...Aí é minha suposta alma imortal a correr perigo.

2 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Eu não queria nem ri uma hora dessas, mas francamente essa história é muito engraçada e a forma como vc conta aí é que da uma dor mesmo!!! kkkkkkkk

    Já vi gente que se ofendeu por falta de resposta no Yahoo, falta de comentário no blog, por telefonemas não atendidos, mas comentário no orkut é a primeira vez!!! rsrs...

    Só a graça!!! Desculpe Sahge, tem a questão da sua alma imortal e tudo o mais, só que eu não aguento tenho que ri mais um pouquinho kkkkkkkkkkk....

    ResponderExcluir
  2. Pandora,
    Ria sem peso na consciência, minha amiga. A história foi mesmo engraçada.E afinal se como diz o poeta:
    "Ridi del duol che t'avvelena il cor"; não haveremos também de rir das pequenas travessuras, nossas e de outrem, do quotidiano?
    Só estranhei muito o fato do meu ex-amigo (supondo-se que exista tal coisa e é esquisito me referir a alguem que já não é das minhas relações como "meu"), não me conceder o mesmo benefício de brincar no perfil alheio que concede a si mesmo. As pessoas são estranhas...
    Acho que ele tencionava mesmo me irritar, porque ele sabe que sou um chato ( e vive me falando isso como se fosse uma novidade. hahahaha), mas creio que ele não pensou que obteria sucesso e menos ainda na minha reação.
    Tem gente que não tem mesmo senso de humor...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...